Como lidar com a pré-adolescência do seu filho?

A pré-adolescência é uma fase tão difícil para os pais quanto para os filhos e, por isso, além de muito amor e companheirismo, é preciso saber orientar e estabelecer novos limites.

É nessa fase que o corpo sofre diversas mudanças hormonais em um curto espaço de tempo, enquanto, no ambiente social, novos interesses e atitudes surgem na vida dos filhos.

Lidar com essas mudanças não é simples, principalmente por não existir uma idade certa para elas começarem ou terminarem. Algumas dicas, porém, são preciosas e podem ajudar a transformar esse desafio em uma oportunidade de fortalecer o relacionamento familiar. Confira a seguir!

Determine novos limites para seu filho

É importante entender que a pré e a adolescência são períodos que aproximam as crianças da fase adulta e, portanto, elas precisam ser preparadas para se responsabilizarem por seus atos e terem total autonomia.

Sendo assim, novos limites, direitos e deveres devem ser estabelecidos para que possam testar e desenvolver suas habilidades.

A organização, por mais difícil que seja de ser imposta, é muito importante para que os pré-adolescentes tenham controle do que está por vir e, então, se sintam seguros por entenderem as novas regras do jogo.

Se antes eles não podiam dormir na casa de amigos, agora podem ganhar essa liberdade, desde que tenham o compromisso de serem educados; manterem suas rotinas de medicações, higiene e alimentação; além de retornarem para a casa dentro do horário determinado, por exemplo.

Ajude-o a encontrar seu estilo pessoal

Com uma organização de tarefas, limites e horários para dar conforto e segurança para os pré-adolescentes, é hora de dar atenção aos novos sentimentos e emoções que começam a tomar conta da criança em fase de evolução.

Se antes ela aceitava as roupas que os pais escolhiam, fazia aulas de dança ou artes marciais para obedecerem a uma rotina, a pré-adolescência é o momento de ajudá-la a encontrar suas verdadeiras aptidões e estilos.

Isso inclui a forma de se vestir, gostos musicais, hobbies etc. Dessa maneira, apresentar diferentes referências e deixar que experimente aquelas que mais interessam é fundamental para que encontre e aceite seu estilo pessoal.

Não permita que a pré-adolescência afete os estudos

As crianças e pré-adolescentes podem ficar confusos nesse período ou, até mesmo, se aproveitarem do volume de informações na internet sobre essa fase para escaparem de obrigações como a escola.

Portanto, além de monitorar suas obrigações escolares, procure saber sobre atitudes dentro da sala de aula. Tenha atenção para que seu filho não seja vítima de bullying nem seja o provocador de tal comportamento que tanto traz sofrimento para os envolvidos.

Converse com professores e outros pais para trocar informações e dicas de vivências, dando especial atenção aos apelos e curiosidades para bebidas e outras drogas.

Eduque com firmeza e amor

Escola, ciclos sociais, novos gostos e amizades, além, é claro, de todos os hormônios e sensações que farão com que, eventualmente, os pré-adolescentes confrontem seus pais e demais referências de autoridade.

Nesses momentos, será crucial tratar as situações com firmeza, racionalidade e amor. Tudo deverá ser explicado para que a lição seja absorvida, e não somente acatada.

Apoie seus sonhos, mas peça comprometimento

Também nessa fase, os planos de vida começam a tomar corpo e aparecem desejos de investir em carreiras como a de modelos.

Apoiar seus sonhos é essencial, mas, além disso, é preciso envolvê-los na concretização de tais escolhas. Assim, eles devem ser encorajados a criar um planejamento, a buscar os profissionais mais adequados e confiáveis e compreender como a vida precisará mudar para que conquistem seus objetivos. Isso fará com que eles se comprometam, criem ainda mais responsabilidades e amadureçam de forma saudável.

Evite minimizar os sentimentos do seu filho

Durante a pré-adolescência, os jovens costumam passar por um turbilhão de emoções e sentimentos, o que pode fazer com que eles passem por alguns momentos afetivos mais complicados e que exigem mais a sua atenção. Por isso, tenha em mente que o seu filho tem sentimentos, como qualquer outro ser humano.

Nesse sentido, evite minimizar o que ele está sentindo. Pode até ser um sentimento passageiro e simples. Entretanto, não menospreze isso jamais. Não diga que é besteira ou algo sem sentido. Os jovens tendem a ficar mais emotivos nesse período e qualquer acontecimento pode gerar um turbilhão de sentimentos.

Mantenha conversas francas sobre assuntos mais difíceis

O jovem precisa ter uma pessoa com a qual ele pode confiar plenamente. Alguém que ele possa se abrir de verdade, tirar dúvidas, mostrar seus sentimentos, se expressar e expor a sua opinião. Tudo isso sem ser julgado. E ninguém melhor do que você para cumprir esse papel.

Nesse sentido, procure sempre ser o mais sincero possível com o seu filho, principalmente em momentos mais complicados. Desse modo, quando surgir assuntos mais delicados (profissão, drogas, relações sem proteção, agressões etc.), tente adotar uma postura de conselheiro, sem impor a sua opinião.

Estabeleça uma rotina que alie estudos e diversão

O ideal é conciliar estudo e lazer sem que um prejudique o outro. Por isso, crie uma rotina para o jovem. Determine os horários em que ele vai estudar e reserve os demais horários como tempo livre para ele se divertir.

Afinal, tão importante quanto estudar e ir bem na escola, é brincar, interagir com os amigos e festejar. Esse cuidado, inclusive, evita o surgimento de muitas doenças, como ansiedade e depressão nos jovens. Caso ele comece a ir mal na escola, não queira estudar ou passe a se isolar, é hora de prestar mais atenção para saber o que está acontecendo.

Na maioria das vezes, um simples ajuste nos horários costuma resolver essa situação. Se você notar que nem isso resolveu, é hora de procurar ajuda de um psicólogo especializado em jovens.

Conheça os projetos do seu filho

Uma das principais características dos jovens é a quantidade de projetos que eles sonham desenvolver — profissão que desejam seguir, ser ator ou modelo, gravar vídeos, aprender a tocar um novo instrumento musical ou idioma, começar um novo esporte, ir bem na competição da escola, planejar uma viagem etc.

Independentemente de qual for o projeto, sempre apoie o seu filho e se envolva com ele. Jamais trate os planos do jovem como algo sem importância e sem futuro nenhum. Pelo contrário, estimule-o a correr atrás e ir em busca dos seus sonhos.

É muito importante que o jovem se sinta apoiado nos projetos pelas pessoas que ele mais ama. Essa atitude contribui para criar filhos determinados, motivados e confiantes, que sabem o seu real valor.

Como você pode perceber, todas as famílias passam tais conflitos e situações desgastantes, mesmo que de forma menos crítica. O importante, nesses casos, é saber como administrar esses momentos para que tudo acabe bem e os laços familiares sejam fortalecidos. Desse modo, você criará filhos fortes e independentes que vão conseguir superar a temida fase da pré-adolescência com mais segurança e autoestima, formado jovens conscientes.

Gostou do nosso artigo? Já pratica alguma dessas dicas com seus filhos? Gostaria de ficar por dentro de outros assuntos e técnicas que podem ajudar no desenvolvimento deles? Então, siga a Dilson Stein no Facebook e Instagram, e se inscreva em nosso canal no YouTube para acompanhar todo esse universo jovem conectado com a moda!

2 comentários

Deixe um comentário