Conheça o new face Patrick Berlatto

Hoje é dia de apresentar mais um modelo descoberto por Dilson Stein: o new face Patrick Berlatto. Natural de Passo Fundo ele foi descoberto em fevereiro de 2016 quando participou do New Models Weekend em Canela. Com 17 anos e 1,85m de altura Patrick foi aprovado por duas agências e escolheu a Casa Agência de São Paulo, para cuidar e gerenciar sua carreira.

Batemos um papo com o futuro top que nos contou como foi o primeiro trabalho, como lidar com os nãos, as expectativas para o futuro e muito mais.

Confira a entrevista:

 

Você foi aprovado por duas agências. Qual escolheu e por quê?

Escolhi a Casa Agencia porque vi as palestras do Alberto Soares, e percebi que me identificava naquela agência. E por sorte, foi umas das agências que se interessaram por mim.

 

Sempre sonhou em ser modelo?

Na verdade não, porém após conhecer o ramo e vivenciar a experiência de ser um modelo, pude ver que me identificava com esse tipo de trabalho, e comecei a me interessar mais ainda.

 

Como foi realizar o primeiro trabalho?

Meu primeiro trabalho estava literalmente perdido, porém toda a equipe que estava tirando as fotos, me ajudou e me guiou em todo o trabalho.

 

Podes citar alguns de teus Jobs ou testes? E qual mais gostou de fazer?

Já fiz ensaios fotográficos, fotos para revistas, e desfiles. O que eu mais gostei foi o desfile que fiz para Casa de Criadores, pois a energia que você recebe quando está na passarela é muito boa.

 

Como é levar um não?

Obviamente ouvir um não é bem desconfortante, porém após ouvir, pensei: “Se levei um não agora, talvez seja porque não esteja preparado, ou não estou no perfil certo para fazer isto”. Mas isso não fez com que eu desistisse. Me encorajou cada vez mais, fazendo com que eu melhorasse a cada dia.

 

Qual a tua dica para quem levou um não?

Muitas vezes as pessoas desistem porque não querem ser negados, e acabam deixando seus sonhos para trás. A melhor coisa que você pode fazer é pegar esse NÃO, e se fortalecer com ele. Acreditar que você pode fazer melhor ou ser melhor, e correr atrás para que conquiste o que realmente deseja, e não simplesmente desistir, mas sim persistir.

 

Quais tuas perspectivas para o futuro como modelo?

Espero que consiga ser reconhecido mundialmente algum dia, e que possa inspirar outras pessoas a correrem atrás do que realmente desejam.

 

Quais as principais dificuldades que você passou até começar na carreira?

A principal dificuldade com certeza é a saudade de toda a família, amigos, e da minha cidade que tenho orgulho de ter nascido lá.

 

Que conselho você daria para quem sonha com essa profissão?

Se realmente é o que você deseja, não deixe que o medo tome conta de você e acabe lhe impedindo de fazer o que realmente gosta. Sonhe, procure, corra atrás do que você precisa para que consiga ter o que você quer, e realize esse seu sonho. Porém nunca se esqueça de ser humilde, pois se deixar as coisas subirem a cabeça, seu rumo será totalmente diferente.

 

Tua família te apoia, na escolha dessa profissão?

Apoia totalmente. São eles que sempre me dão concelho, me apoiam nas horas difíceis, e sempre me motivam para que eu melhore cada vez mais.

 

Qual a melhor e a pior parte da profissão modelo? 

A melhor parte com certeza é o contato que você tem com as pessoas de todo o mundo. A aprendizagem de novas culturas, amigos que faz durante os trabalhos, e é claro, mais conhecimentos sobre o ramo.

 

Porque optou por participar do New Models Weekend?

Tive muito interesse e curiosidade, com isso me fez realmente querer participar da seleção.

 

De que forma participar do New Models Weekend te auxiliou na busca do teu sonho?

Foi o evento que fez abrir uma grande porta para que começasse essa carreira.

 

Você recomenda o trabalho de Dilson Stein? Por quê?

A experiência de participar de uma seleção e aprender muitas coisas novas é muito boa, e por isso participar do evento que o Dilson proporciona é muito bom.

 

Deixe um comentário