Conheças os mitos e verdades sobre o trabalho de modelo

Se há uma profissão que desperta fascínio, curiosidade e inúmeros sonhos, certamente, é o trabalho de modelo — especialmente quando envolve desfiles internacionais para grandes marcas. Não é à toa que quem deseja seguir carreira na área acaba se deparando com uma série de mitos sobre o mercado da moda que só servem para gerar dúvidas e receios sem fundamento, não é mesmo?

Por esse motivo, vamos desvendar algumas dessas concepções equivocadas e mostrar o que, de fato, é ou não verdade. Portanto, acompanhe até o fim!

Mitos sobre o trabalho de modelo

Modelo não se alimenta direito

Para começar, há um dos maiores mitos envolvendo a profissão: que modelo não come e, por isso, passa fome. Essa é uma ideia totalmente errada e que não faz jus à realidade. Por isso, saiba que modelos se alimentam, sim — e muito bem!

Afinal, trabalham com a imagem e precisam zelar pelo próprio corpo. Portanto, muitos fazem acompanhamentos com nutricionistas, seguem dietas balanceadas e prezam por uma alimentação que realmente beneficie a saúde e o bem-estar.

Fora isso, uma grande parcela ainda realiza atividades físicas, malha ou mesmo pratica esportes para valorizar o físico e acentuar a musculatura — algo que é ainda mais evidente para os modelos masculinos.

Para modelar, é preciso ser alta e magra

Embora esses sejam requisitos para quem deseja seguir na área fashion e fazer sucesso nas passarelas, saiba que eles não são impedimentos para quem sonha em alcançar o reconhecimento e a fama na área comercial — que envolve projetos para a TV, o cinema e o mercado publicitário.

Nesse meio, a diversidade é sempre bem-vinda e, acima de tudo, desejada. Portanto, não se desespere se você não for alta nem muito magra, pois o seu perfil pode se encaixar mais com esse segundo segmento.

Quem escolhe essa profissão deseja ter vida fácil

Quem pensa isso é porque não conhece os profissionais da área e não tem noção de como é a rotina nos bastidores de cada trabalho.

Além de participar de castings, realizar provas de figurino e maquiagem e ensaiar textos e tomadas para campanhas audiovisuais — algo frequente para quem segue a área comercial —, o(a) modelo precisa sempre investir na própria capacitação com cursos e treinamentos que desenvolvam constantemente as suas habilidades.

Sem mencionar, é claro, que quem pretende seguir carreira internacional ainda investe no aprendizado de outros idiomas, no aprofundamento em culturas estrangeiras e no conhecimento sobre etiqueta social.

Verdades sobre o trabalho de modelo

Não basta estar dentro de um padrão de beleza

De fato, não basta ter um rosto bonito e dentro de padrões preconcebidos de beleza para alcançar o estrelato. As empresas, os estilistas e os demais clientes das agências, cada vez mais, buscam por profissionais que se sobressaiam e tenham diferenciais para representá-los e chamar a atenção do público.

Isto é, modelos com atitude, carisma, espontaneidade, talentos únicos e que sejam responsáveis com o trabalho.

É possível ser descoberto por um olheiro

Nem sempre quem entra para o universo da moda sonhava, necessariamente, em seguir carreira de modelo desde criança. Ao contrário, muitas moças e rapazes são, literalmente, descobertos por olheiros (ou scouters, em inglês) e acabam percebendo, na prática, que têm vocação para modelar.

E isso pode acontecer tanto na rua quanto em eventos elaborados com essa finalidade. Afinal, é o objetivo desses profissionais encontrar new faces com potencial para crescer (e muito) no mercado, mas que ainda não estão agenciadas.

Como você viu, existem diversos mitos envolvendo o trabalho de modelo e que não representam nem de longe a realidade. Portanto, sempre pesquise a veracidade das informações e busque orientações com a sua agência sobre as dúvidas que tiver!

E se você quiser saber mais a respeito dessa profissão, já sabe: siga-nos no Facebook e Instagram!

2 comentários

Deixe um comentário