6 sintomas da ansiedade infantil e como a família pode ajudar

As cobranças em excesso e a grande quantidade de estímulos aos quais as crianças têm acesso todos os dias vêm desencadeando quadros de nervosismo, angústia, aflição e inquietação entre os pequenos. Esses são apenas alguns dos sintomas da ansiedade infantil.

Trata-se de um transtorno mental que acaba afetando a vida do jovem e pode trazer consequências sérias ao desenvolvimento e ao aprendizado, impedindo que a criança execute tarefas rotineiras, caso não seja devidamente tratado.

Você desconfia que o seu filho está sofrendo com esse problema? Neste post, vamos abordar algumas questões envolvendo o transtorno de ansiedade em crianças. Você vai aprender dicas para identificar sintomas da ansiedade no filho e descobrir o que pode estar desencadeando-os. Acompanhe a leitura!

Quais são os sintomas da ansiedade infantil?

A manifestação da ansiedade infantil costuma ser diferente da forma como ela acontece com os adultos. Nesse sentido, é essencial estudar os sinais e, então, aplicar uma abordagem mais delicada conforme o quadro clínico do jovem. Só assim, será possível identificar corretamente os sintomas e partir para o tratamento adequado.

Os sinais da ansiedade infantil podem surgir em qualquer momento. Portanto, pais e educadores devem estar atentos ao comportamento da criança. Quanto antes ela for identificada, menor será o sofrimento do jovem.

Confira, a seguir, os principais sintomas que apontam o transtorno de ansiedade.

1. Medos e fobias

Crianças com ansiedade passam por um momento de agitação e estresse e acabam despertando medos de:

2. Obsessões e compulsões

É comum que as crianças apresentem alguns rituais que não são apenas um comportamento metódico e organizado, mas sim uma espécie de rotina imotivada, como forma de se sentirem protegidas — conseguir dormir somente após organizar os brinquedos de determinada forma, por exemplo.

3. Fome em excesso ou falta de apetite

Crianças ansiosas apresentam fome mesmo após terem feito uma refeição completa. É uma forma de compensar ausência, estresse, angústia ou um sentimento que elas ainda não conseguem explicar. Por outro lado, também é comum a falta de apetite. O ideal nesses casos é educar o seu filho a manter uma alimentação equilibrada, além de buscar o tratamento necessário.

4. Insônia

A ansiedade infantil causa problemas de sono para a criança, principalmente se ele dorme sozinha. Na maioria das vezes, é necessário ter alguém por perto ou, então, dormir na cama dos pais durante toda a noite.

5. Mutismo seletivo

O mutismo seletivo consiste na ausência da fala se caracterizando pelo silêncio e falta de interação com os colegas. Esse sintoma acaba interferindo na rotina da criança e trazendo prejuízos para o seu desenvolvimento social — dificuldades de fazer amizades, por exemplo.

6. Fobia social

A fobia social vai além de uma timidez em excesso. A simples ideia de interagir com os colegas de classe proporciona medo e calafrios na criança. Assim, ela acaba se isolando e para de se relacionar com outras pessoas, prejudicando o desenvolvimento das suas habilidades interpessoais.

Quais são as principais causas da ansiedade em crianças?

A ansiedade infantil pode ser desencadeada por diversos fatores. Portanto, ao identificar melhor as possíveis causas desse transtorno fica mais fácil conseguir partir para o tratamento mais adequado.

Confira as principais situações que podem levar à ansiedade infantil.

Rotina rígida

A pressão dos pais e da família pode afetar a criança e fomentar o aparecimento desse transtorno. A rotina rígida, muitas responsabilidades, o excesso de atividades, muitos textos para decorar e a busca contínua por bater metas e alcançar resultados duros de serem obtidos pode trazer tristeza para o jovem.

Portanto, crie uma rotina leve para a criança. Determine horários para as tarefas escolares, esportes e não se esqueça do lazer. Uma boa ideia é elaborar um planejamento de carreira artística de modo a guiar a rotina do seu filho.

Separação dos pais

Casos de divórcio entre os pais podem propiciar o surgimento de uma sensação de insegurança e solidão. Além disso, o pequeno pode desenvolver o medo de que será abandonado a qualquer momento, o que pode trazer problemas muito mais sérios, como depressão.

Portanto, é fundamental criar um sentimento de confiança e dar afeto para a criança, além de estabelecer como será o tipo de guarda judicial, de maneira que o jovem consiga lidar com a separação dos pais da melhor forma possível.

Como ajudar seu filho a controlar a ansiedade?

Veja algumas dicas que podem ajudar seus filhos a controlar os sintomas.

Busque ajuda de um profissional

O ciclo de ansiedade pode ser eliminado com alguns cuidados básicos dos próprios pais e da família. Contudo, essa tarefa pode se tornar mais complexa, pois, se a criança já apresenta um quadro clínico mais sério, vai demandar tratamento com psicólogos e assistentes sociais.

De qualquer forma, o mais recomendado é buscar ajuda especializada assim que os pais desconfiarem dos sintomas para que o profissional faça uma avaliação mais aprofundada e para receber as orientações devidas.

Afinal, o quadro do paciente poderá pior caso esse transtorno não seja tratado da forma apropriada. A terapia cognitivo-comportamental (TCC) apresenta uma eficácia comprovada para tratar a ansiedade e costuma trazer ótimos resultados em crianças.

Não trate o medo como algo banal

As crianças com ansiedade sentem medos e sensações de angústia que são incompreensíveis para os adultos. Muitos pais pensam que é manha ou birra e não entendem o que, de fato, está acontecendo. Portanto, nesses casos, o ideal é evitar determinadas situações que trazem desconforto, até que o psicólogo consiga tratar devidamente essa condição e faça a criança superar esse medo.

Preste atenção ao que a criança está sentindo

Não tente minimizar os sentimentos dos seus filhos. Converse com a criança com calma, escute o que ela tem a dizer. Diga que estará sempre com ela e que vai oferecer carinho e apoio sempre que ela precisar. Essa atitude vai fortalecer o lado psicológico do jovem e vai proporcionar mais confiança para que ele consiga lidar melhor com a situação.

Incentive seus filhos a praticar atividades relaxantes

A atividade física leve libera substâncias que trazem sensação de bem-estar e felicidade ao corpo. Além disso, essa prática auxilia as crianças a desviarem o pensamento negativo de incômodo, angústia e ansiedade. Em breve, você vai perceber os benefícios que os exercícios produzem para a saúde mental dos pequenos.

Como você pôde perceber, a criança que apresenta sintomas da ansiedade infantil precisa de acompanhamento especializado e poderá ser submetida a um tratamento psicológico , a depender do nível do transtorno. Portanto, preste atenção à rotina do seu filho e procure ajuda se verificar o aparecimento de um comportamento diferente que está trazendo complicações para a criança.

Conhece algum amigo que está passando pela mesma situação com o filho? Que tal ajudá-lo a superar essa fase? Compartilhe este artigo nas redes sociais!

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.