Afinal, piercings e tatuagens podem interferir na carreira de modelo?

Você já conversou com os seus pais e decidiu que seu sonho é modelar. Inclusive, segue à risca diversos cuidados com a pele e com o cabelo, se exercita regularmente e não abre mão de uma boa alimentação, pois sabe que zelar pela própria imagem é fundamental no mercado da moda — uma vez que é exatamente com ela que se trabalha tanto no meio fashion quanto no meio comercial. Contudo, surge uma dúvida que tira o seu sono: é um problema ter piercings e tatuagens na carreira de modelo?

É justamente para responder a essa questão e explicar qual é o verdadeiro impacto dela que preparamos este post. Acompanhe e descubra se, afinal, piercings e tatuagens podem ou não prejudicar você!

Modelos podem se tatuar e colocar piercings?

Sim, podem. No entanto, é preciso pensar e repensar antes de fazer qualquer um dos dois. Lembre-se que, embora seja possível se arrepender e remover uma tatuagem no futuro, esse processo é caro e demorado.

Além disso, é preciso ter segurança sobre a mensagem que ela passará e a dimensão que ela terá no seu corpo, pois isso pode influenciar não só na sua vida pessoal, mas principalmente na profissional.

A regra do bom senso também é válida para piercings. Nunca exagere na quantidade e use, preferencialmente, modelos minúsculos no nariz e/ou nas orelhas, que possam ser removidos de forma prática e rápida caso seja preciso.

Existem modelos famosos com tatuagem ou piercing?

Sim. Gisele Bündchen e Alessandra Ambrósio são ótimos exemplos. A primeira tem duas tatuagens extremamente discretas e pequenas: uma no punho esquerdo e outra no tornozelo direito. Já a segunda tem três juntas, com tamanho bem modesto, na região próxima à nádega esquerda.

Em ambos os casos, elas passam despercebidas e, para completar, podem ser cobertas sem dificuldade por maquiagem, acessórios e, é claro, roupas.

Como o mercado encara piercings e tatuagens na carreira de modelo?

Durante castings e processos de seleção para trabalhos publicitários, você encontrará clientes que não vão apresentar objeção e outros que sim, especialmente quando o modelo tem o corpo parcial ou totalmente coberto por tatuagens.

Muitas marcas buscam apresentar diversidade nas campanhas delas e querem que os rostos que as estrelam sejam mais alternativos e descolados, mas sempre haverá empresas que vão optar por perfis mais neutros e tradicionais — ou seja, modelos que representem os valores da companhia e o público que é mais conservador.

O mesmo ocorre com quem tem diversos piercings (que não são facilmente removíveis) no rosto e deseja participar de um projeto no qual o cliente é uma marca de maquiagem ou de cosméticos para a face. Em casos assim, é o produto que precisa se destacar, e não os acessórios do modelo. Logo, haverá certa dificuldade em conseguir um ou outro trabalho.

Como você viu, piercings e tatuagens na carreira de modelo são um assunto que rende e que, dependendo das proporções e da quantidade, podem se transformar em um obstáculo. Por isso, vale repetir: o bom senso é fundamental ao fazer tanto um quanto o outro. Além disso, tatuagens discretas levam vantagem porque são fáceis de cobrir, e se preciso, podem ser retiradas em programas de edição de imagem — assim como os piercings.

Gostou de saber mais sobre o assunto? Então aproveite e fique por dentro do que as agências de modelo estão buscando nas new faces!

Deixe um comentário