Criança e internet: saiba como garantir a segurança do seu filho

Quem tem criança pequena em casa nos dias de hoje sabe como é difícil criá-las longe da tecnologia. Não é para menos, já que o universo dos jogos e das redes sociais costuma ser um vício até mesmo para adultos.

Mas quando o assunto é criança e internet, existem alguns cuidados que precisam ser tomados. A rede pode não ser tão inofensiva quanto parece, expondo os pequenos a pessoas mal-intencionadas, sites impróprios, bullying e até mesmo provocando falta de interesse por atividades do cotidiano como brincar, comer e estudar. 

Você tem passado por essa situação na sua casa? Então veja nossas dicas e aprenda a proteger seu filho na internet. Confira!

Limite o acesso a sites e aplicativos

O primeiro passo para tornar a internet um lugar menos perigoso para crianças é limitar o acesso a sites e aplicativos. Para realizar o procedimento em computadores e tablets, você pode criar perfis restritos. Já os smartphones — seja iOS ou Android — podem ser configurados com a ajuda de alguns apps ou até mesmo com serviços de fábrica do aparelho.

Além de bloquear sites impróprios por meio dessas configurações, é possível ativar a busca segura em sites como Google e YouTube.

Tenha posse de todas as senhas

Alguns pais sentem-se desconfortáveis em invadir a privacidade dos filhos, mas, quando se trata de uma criança muito nova, é importante ter posse das senhas de todos os aparelhos usados por ela.

Também é importante ter acesso às redes sociais, caso a criança tenha um perfil em algum site desse tipo. Não se esqueça de seguir essa dica, mesmo que o endereço visitado seja voltado para o público infantil. 

Defina um período de uso da internet

O uso da internet pela criança deve ser monitorado para evitar que ela tenha contato com conteúdo impróprio ou até mesmo com pessoas mal-intencionadas, mas essas não são as únicas preocupações que os pais devem ter.

É importante manter a criança consciente de que ela ainda precisa ter hora para dormir, comer, estudar, ter contato com a família e aproveitar outros tipos de brincadeiras.

Esperar que seu filho(a) tenha essa atitude espontaneamente não vai funcionar. Seja fiel aos horários e evite usar a internet para ocupar as horas vagas dos pequenos.

Restrinja o contato nas redes sociais

Como todos bem sabem, é possível receber convites de amizade no Facebook e mensagens privadas no Instagram, mas é possível configurar essas redes sociais para dificultar o contato de estranhos com a criança.

O Facebook permite configurar a conta para que o pequeno não receba convites de amizade de forma deliberada. Ainda é possível bloquear todo o conteúdo pessoal de pessoas que não fazem parte da lista de amigos.

O Instagram também pode ser configurado para ser privado e é possível bloquear comentários e mensagens privadas via direct.

Converse sobre isso com a criança

Mesmo tomando todos os cuidados que ensinamos aqui, é indispensável que você tenha uma boa conversa com a criança sobre esse assunto. Explique como pode ser perigoso expor algumas informações na internet, oriente-a a não conversar com estranhos e mostre como é importante não fazer online aquilo que não fazemos na vida real.

Por estar atrás de uma tela, dentro de casa, seu filho(a) acredita que está protegido de todos os perigos, então a orientação é essencial desde cedo.

Agora você já sabe, quando o assunto é criança e internet, não dá para deixar os cuidados para depois. A internet passa uma falsa segurança, mas isso está longe de ser verdade.

Colocando essas dicas em prática, é possível manter os pequenos protegidos de forma simples e prática!

E falando em criança, seu filho(a) já te disse que gostaria de ser modelo? Descubra quais são os passos para realizar esse sonho!

Deixe um comentário