O que é bullying digital e como ficar de olho em seu filho?

O bullying se tornou uma palavra muito conhecida depois dos anos 2000, em que diversos casos de violência física e psicológica dentro das escolas começaram a aparecer nos Estados Unidos. Com a evolução da tecnologia, esse processo foi intensificado, gerando o bullying digital e trazendo sérias consequências para as crianças e adolescentes.

Essa violência é caracterizada por criar situações agressivas, sobretudo as verbais e psicológicas, utilizando as redes sociais e outros mecanismos digitais que impedem a criação de fronteiras, tornando-a mais séria, ofensiva e perigosa.

Pensando em ajudá-lo a lidar com situações de bullying digital, nós desenvolvemos este artigo com as principais atitudes que você deve tomar para garantir a saúde física e mental dos seus filhos. Confira!

Observar o que a criança faz no celular e no computador

O cyberbullying está no ambiente virtual, fazendo com que outras crianças e adolescentes se sintam seguros para expor, ridicularizar, xingar e violentar seus colegas em função do anonimato.

Justamente por isso, é importante saber o que o seu filho está fazendo na internet, quais os programas que ele assiste, que tipo de site ele acessa e com quais pessoas ele se relaciona. Assim, você consegue observar se ele está vulnerável ou não dentro desse ambiente social.

No entanto, existe uma grande diferença entre observar e bisbilhotar a vida do seu filho. É fundamental analisar o tipo de conteúdo que ele consome, mas sempre respeitando a sua privacidade, ok?

Conversar com seu filho sobre a gravidade do bullying digital

Um dos principais papéis dos pais é orientar os filhos sobre a vida. Então, por que seria diferente com o bullying digital? É fundamental manter um diálogo franco, aberto, seguro e responsável sobre essa forma de agressão, permitindo que seu filho compartilhe com você suas dores, angústias e dificuldades.

Dessa forma, você constrói um bom relacionamento e consegue estabelecer vínculos de confiança, deixando o seu filho à vontade para contar sobre suas práticas virtuais, sejam elas positivas ou não.

Identificar atitudes diferentes da criança ou adolescente

Quando o bullying digital está acontecendo, tanto com a vítima quanto com o agressor, existem mudanças de atitudes e comportamentos. Afinal, ele fica exposto a violências e vulnerabilidades, alterando a sua forma de enxergar o mundo e, por consequência, a sua maneira de se comunicar, expor e viver a vida.

É muito comum perceber quadros de isolamento, choros espontâneos, irritabilidade, tristeza irracional, depressão, baixo desempenho escolar e automutilação. Fique atento aos sinais que o seu filho dá e converse com ele sobre isso.

Estabelecer uma relação de confiança

Você se lembra de que nós comentamos sobre a criação de uma relação de confiança por meio da conversa? Uma boa forma de estabelecer vínculos de confiança é se manter livre de julgamentos e preconceitos, colocando a sua empatia em ação para acolher seu filho, independentemente se ele for o agressor ou a vítima.

Ainda, evite fazer perguntas muito específicas na primeira conversa, já que elas podem criar uma barreira e resultar no afastamento do seu filho. Em outras palavras, dê preferência para perguntas mais gerais, como “o que está acontecendo?” e “você quer me contar alguma coisa?”, escutando com calma e empatia a sua resposta.

Conversar com professores e educadores da escola

Se você perceber que o cyberbullying está sendo praticado entre os colegas do seu filho, entre em contato com a escola. Ao conversar com professores e educadores, vocês conseguirão criar estratégias de enfrentamento para lidar com essa situação sem expor a vítima e o agressor, garantindo que o tema seja tratado de forma madura e responsável.

Nesse momento, é possível criar palestras, vídeos, pequenos cursos e seminários sobre o bullying digital e como identificá-lo e preveni-lo, auxiliando os alunos e professores a lidarem com essa situação dentro do ambiente escolar.

Você percebe como é importante o diálogo livre de julgamentos e preconceitos com seus filhos? Ao se posicionar como uma figura de referência, que o acolhe e o ajuda nesse momento difícil, você consegue superar o bullying digital, permitindo uma vida mais saudável e feliz.

E então, gostou do nosso artigo? Aproveite e siga nossa página nas redes sociais para encontrar mais conteúdos como este no seu feed! Estamos no Facebook, Instagram e Twitter.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.