Responsabilidade na infância: como ajudar meu filho a desenvolver?

Pode até parecer, mas criar um filho não é nada simples. Ao longo desse processo, precisamos estar atentos a uma série de fatores que ajudarão a moldar a personalidade dos nossos pequenos até a chegada da vida adulta. E entre as questões que não podem ficar de fora ao longo dessa criação está a responsabilidade na infância.

Desde novas, as crianças precisam receber conselhos sobre a obrigação de cumprir prazos, realizar tarefas de forma adequada e conseguir encarar os desafios de nossa sociedade. Caso contrário, é possível que seu filho comece a se sentir no direito de fazer o que bem entender.

Ou seja, se você é mãe, já deve ter reparado que oferecer uma boa criação não significa apenas realizar todas as vontades do pequeno, mas, sim, prepará-lo para a vida — desde cumprir tarefas simples até as mais complexas. Pensando nisso, e para ajudá-la e reforçar a ideia de responsabilidade nas crianças, criamos este post com um aglomerado de dicas que, certamente, farão toda a diferença no dia a dia da sua família. Confira!

Ensine sobre a importância de honrar compromissos

O primeiro passo para praticar a responsabilidade infantil é ensinar o pequeno a honrar os seus compromissos desde cedo. Uma maneira de realizar essa tarefa é delegando obrigações simples, que devem ser feitas dentro de casa ou, também, na escola.

Por exemplo: você pode começar ensinando a criança sobre o seu compromisso de guardar os brinquedos sempre que eles não estiverem sendo usados. Ou, então, sobre a importância de estar pronto no horário certo para ir à escola.

Todos esses deveres devem ser impostos de forma clara e objetiva. Caso contrário, a criança não saberá o que, realmente, os pais esperam dela. E a consequência disso será uma só: o pequeno não conseguirá aprender como se tornar um ser humano responsável.

Pratique o que ensina ao seu filho

De nada adianta ditar uma cartilha de bons modos ao seu filho se, no fim das contas, você não dá o exemplo dentro de casa.

Caso não saiba, todas as crianças aprendem a enxergar o mundo e a agir de acordo com as atitudes das pessoas mais próximas a ela: seus pais. Se você cumpre os compromissos, sempre diz “obrigado” após uma gentileza e mantém o lar bem organizado, é provável que o pequeno “copie” essas atitudes no futuro.

Praticar o que diz para a criança é a melhor forma de colocar a responsabilidade infantil em prática e ensinar ao seu filho, diariamente, quais os melhores caminhos a seguir. Pense nisso!

Crie uma rotina

Quando o assunto é responsabilidade infantil, é comum que muitos pais acreditem que o “sistema de recompensas” é a melhor saída. No entanto, em vez de oferecer “prêmios” para que o seu filho cumpra uma determinada obrigação, que tal estabelecer uma rotina dentro de casa?

Por exemplo: para poder brincar com os amiguinhos, é importante que a criança acorde cedo, se alimente bem, escove os dentes e tome banho. A brincadeira com os amigos deve ser vista como um resultado dessa rotina — e não como uma recompensa.

Para as crianças mais novinhas, esse tipo de organização pode não ser encarado como uma responsabilidade propriamente dita. Mas, desde cedo, tal cuidado faz com que ela desenvolva uma estrutura com boas ferramentas para seguir uma rotina mais complexa no futuro.

Ensine sobre consequências

Por último, nada melhor do que ensinar os filhos sobre as consequências de suas ações. Aprender a cuidar bem de seus pertences, alimentar-se de forma correta e realizar todos os deveres escolares são atitudes simples, mas capazes de evitar uma série de problemas.

Assim, a criança começará a aprender que, caso aja de uma determinada maneira, precisará aceitar as consequências que virão depois. Quanto mais o seu pequeno entender sobre isso, menos ele ficará zangado ou reclamando das obrigações. Vale a pena!

Viu só? Com essas dicas de responsabilidade na infância, ficará muito mais fácil criar filhos preparados para o que der e vier.

E depois de se aprofundar nesta leitura, aproveite também para acessar outro artigo e descobrir o que é o bullying digital e como proteger o seu filho desse problema!

Deixe um comentário