Saiba como lidar com os filhos na puberdade

Se para muitos pais a chegada da adolescência é um período esperado, para outros é motivo de preocupação. Isso porque nem sempre é fácil lidar com as mudanças dos filhos na puberdade, em especial por conta da falta de comunicação, das mudanças de temperamento e a manifestação de uma personalidade desafiadora — que está em pleno processo de formação e nem sempre lida muito bem com as regras.

Com isso, aumentam-se as exigências e os desentendimentos dentro de casa, surgem os clássicos sinais de rebeldia e há um afastamento gradual que enfraquece os laços familiares. Se identificou com o que descrevemos? Pois não se preocupe!

Neste post, você vai conferir algumas dicas essenciais para ter uma relação mais sadia com o seu filho e afastar de uma vez por todas a apreensão com esse período de transição tão importante para ele. Acompanhe!

Seja paciente

A primeira dica é bem simples: seja paciente! Afinal, assim como o seu filho, você também já passou pela puberdade e sabe como esse período afeta cada indivíduo de uma maneira peculiar. Lembra de como era consigo mesmo ou com os seus irmãos, primos e amigos? Pois é, as mudanças não são só físicas por conta da produção hormonal que está a todo vapor.

Ao contrário, também há alterações profundas no lado psicoemocional, pois essa é uma fase de descobertas afetivas e sexuais, de entendimento de valores morais e éticos, de ganho de responsabilidades (inclusive penais), de construção do próprio caráter, de compreensão de qual o lugar dele no mundo, etc.

Portanto, faça um exercício de empatia e se coloque no lugar dele, compreendendo e respeitando essa fase tão marcante. Isso será fundamental para ajudá-lo a entender o que está acontecendo e o que significa se tornar um adolescente.

Mantenha o diálogo

Outra dica útil é procurar não forçar uma conversa — que, na verdade, está mais para uma interrogação — para saber o que o seu filho faz, com quem sai, o que escuta, o que assiste e por aí vai. Pior ainda se esse princípio de comunicação for acompanhado de julgamentos, preconceitos e pontos de vista controversos. Isso só fará com que ele tenha a sensação de invasão de privacidade e evite compartilhar coisas da vida pessoal com você.

No lugar disso tudo, transmita confiança e mostre que sempre haverá um canal de diálogo aberto (e sem juízo de valores) para quando ele precisar. Que a conversa será horizontal, isto é, sem hierarquias, regras ou críticas, para que o jovem possa se sentir livre e à vontade quando precisar desabafar, pedir conselhos ou mesmo contar segredos.

Adote uma postura orientadora e negociadora

Um erro muito comum dos pais ao lidar com os filhos na puberdade é se tornar uma figura ditatorial que repreende, desconfia e cobra constantemente como forma de se precaver quanto à rebeldia. Acontece que, sem se darem conta, eles estão fazendo justamente o oposto e dando margem para que os adolescentes desafiem cada vez mais a autoridade deles — o que, eventualmente, vai provocar conflitos e causar uma convivência difícil e estressante para ambos os lados.

Para evitar isso, adote uma postura orientadora e negociadora. Ou seja, ao estabelecer regras, tarefas de casa e explicar quais as consequências caso elas não sejam cumpridas, pergunte o que o jovem tem a dizer ou, quem sabe, até gostaria de mudar (se possível).

Pode parecer algo simples, mas dar voz ao adolescente e principalmente achar soluções que também beneficiem a ele, mostra que você não está contra ele e que o lar não é um ambiente de constante disputa para provar quem tem mais poder. Longe disso, é um espaço de acolhimento e respeito.

Seguindo as nossas dicas para lidar com filhos na puberdade, você verá como construir um relacionamento saudável com eles não é uma missão impossível como muitos acreditam ser. Para tanto, é preciso apenas empatia, carinho e paciência.

E se você gostou do post e quer conferir outros conteúdos como este, já sabe: siga a gente no Facebook e Instagram!

Deixe um comentário